Arquivo da categoria: SIG – Sistemas de Informações Geográficas

Registros de aulas em doc (word) e PDF, novidades, artigos publicados, etc.

Sensoriamento Remoto na vegetação: orientações da simbologia!

16/05/2018  JY  Geoteccnologias

19-05-2818 blog

Açude São Domingos, próximo do Rio Paraíba – Cariri Paraibano – Caatinga – Semiárido

blog 16-05-18.PNG

Pivôs-centrais – GOIÁS

Oi pessoal,

Estaremos divulgando aqui a importância do que é saber a forma de como através das cores e formas podemos classificar e determinar as mudanças e desenhos da vegetação, dependendo do seu comportamento espacial e fenológico. Temos muito a conversar sobre isso! 

Pois bem, costumamos representar pela cor VERDE a vegetação né isso?!, pois bem nem só o verde é representativo para essa situação. Por quê? Porque ocorrem variações na estrutura, no desenvolvimento da vegetação, bem como categorias para que se faça associações, onde cito aqui como exemplo, as florestas, os arbustos, sendo estes densos ou não densos, ralos, com frutos, sem frutos, perímetro cultivado ou não cultivado, etc.

Pois bem, partindo para o mapeamento, de preferencia mapas temáticos, particularmente, costumo representar essas situações que ocorre na vegetação de várias formas tendo em vista o uso correto de como representá-lo conforme os símbolos que eu escolho. 

Vejamos: 

  1. Evite deixar muito colorido (um arco-íris) em suas formas de representar o tema que você escolheu, a vegetação por exemplo. Um tom verde escuro e verde claro, tracejado, com bolinhas, ou sem, vai depender sempre da situação que ocorre no alvo. Um perímetro irrigado que contenha culturas dos citros por exemplo, use um tom verde de fundo com bolinhas marrons ou verdes, para a cultura do algodão, represente-a com bolinhas brancas ou até verdes.
  2. Vegetação que apresente falhas nas folhas ou doenças, represente-as com um tom branco de fundo e cruzes marrons ou vermelhas; Matas e florestas, abuse do verde intenso, sólido ou opaco. Vegetação da Caatinga, coisa nossa, use fundo verde claro com formas triangulares marrons representando os espinhos, a resistência, a vegetação cinza. 
  3. Não esquecer que a descrição para cada símbolo é importante para cada situação ok?! Digo isso porque quer queira ou não, quem é especialista no assunto, vai questionar você! Outra coisa, traço é traço e polígono é polígono, e por Deus não represente uma situação dessas, de algo acumulativo ou cheio lá no terreno representando estes por linhas, traços, isso não cola.

Até as próximas postagens !

 

Anúncios

Sensoriamento Remoto na agricultura: Você conhece a Resolução nº4.427 de junho de 2015 pelo Banco Central do Brasil?

04/05/2018    JY Geotecnologias

Olá pessoal,

Acredito que vocês já tenham visto falar dessa Lei, ou até mesmo já trabalhe usando suas normas. Pois bem, é uma Lei recente em que através do Banco Central do Brasil, autoriza a utilização do Sensoriamento Remoto para fins de fiscalização e operações de Crédito Rural, demarcações de áreas agrícolas para cadastramentos. Tivemos esse assunto em uma de nossas palestras de Geoprocessamento!

Além disso, essa lei obviamente é baseada em utilizar imagens de satélites com resolução inferior a 30m, para facilitar a identificação de áreas agrícolas, bem como todo o processo que envolve o desenvolvimento da planta( plantio, crescimento, maturação, fase final do desenvolvimento, colheita), como também o tamanho, perda de folhas, em épocas que sejam importantes para uma melhor colheta, sem que haja tanta perda agrícola.

blog 04-05-2018.PNG

Fazenda na Paraíba com produção agrícola fora da época chuvosa em pleno Semiárido.

Muitos do pesquisadores e pessoas que trabalham com o geo, usam imagens de satélite gratuitas de preferencia e logicamente buscam por imagens que tenham resolução bem inferior a 30m, como no meu caso que utilizo as do satélite Sentinel, mas a quem use a do Landsat, além da resolução radiométrica, a qual se encontra nas normas da Lei, interior a 10 bits.

Se você não conhecia essa Lei então recomento você baixar aqui para ler um pouco mais sobre: Resolução nº4.427 de junho de 2015.

Quero lembrar para todos vocês , principalmente a quem até então não conhece que essa Lei consiste apenas para o uso de imagens de satélite ok! Veículos aéreos não tripulados, como Vants, Drones, Aviões não entram nessa Resolução.

Até mais gente!

 

Imagens de alta resolução e gratuitas !16 melhores sites para baixar!

04/04/2018  JY  Geotecnologias

Campina grande

Cidade de Campina Grande – PB

Olá pessoal,

Que tal conhecer um pouco mais de sites de SIG para baixar imagens de satélite de ótima resolução e o melhor, gratuitas!

Trouxe aqui pra você um resumo dos melhores sites com informações referentes a dados e imagens dos satelites mais falados e procurados do momento. Agente sabe bem o quanto é caro uma imagem de alta resolução espacial, as vendas costumam sair caras, existem burocracias, enfim. Mas quando falamos das gratuitas a comunidade do geo, estudantes e pesquisadores SIG adoram a ideia de existir sites que facilitem essa procura e  que bom, de graça! Olha esse exemplo abaixo!

Fonte: MELO (2002)

Pois bem, vamos a lista dos melhores sites? Aqui você encontrará imagens com resolução de 5m,10m, 20m e 30m !Os satélites mais procurados são: Landsat, Sentinel, CBERS4, modis, etc. Vamos lá! Agora vale lembrar que só funciona se você usuario criar sua conta ok?! Todos aqui apresentam uma plataforma websig, alguns deles com ferramentas de compor imagens, de fácil manuseio e busca.

  1. http://earthexplorer.usgs.gov/
  2. http://lv.eosda.com/
  3. http://www.dgi.inpe.br/CDSR/
  4. http://glcfapp.glcf.umd.edu:8080/esdi/search.jsp
  5. https://scihub.copernicus.eu/dhus/
  6. https://vertex.daac.asf.alaska.edu/
  7. http://gdex.cr.usgs.gov/gdex/
  8. http://www.class.ngdc.noaa.gov/saa/products/welcome
  9. http://landsatappv1p1.s3-website-us-west-2.amazonaws.com/
  10. https://remotepixel.ca/projects/satellitesearch.html
  11. https://libra.developmentseed.org/
  12. https://s2maps.eu/
  13. http://www.diva-gis.org/Data
  14. https://worldview.earthdata.nasa.gov/
  15. http://reverb.echo.nasa.gov/
  16. https://beta.openaerialmap.org/

Boa sorte nas pesquisas!!!!

Procurando imagens ASTER GDEM?

23/03/2018   JY  Geoecnologias

blog 23-03

Olá todos!

Procurando imagens ASTER GDEM para monitoramento hidrológico e ambiental? Analise de temperatura? Riscos de inundações? Pois bem.

A alta precisão dessa imagem garante resultados satisfatórios ! Pesquisando sobre o mesmo vimos que esse modelo ASTER Global de Elevação Digital (ASTER GDEM) é um  conjunto desenvolvido e disponibilizado ao público pelo Ministério da Economia, Comércio e Indústria (METI) do Japão e pela Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço dos Estados Unidos (NASA). É gerado a partir de dados coletados a partir do Radiômetro Avançado de Emissão Térmica e Reflexão Spaceborne (ASTER), um instrumento óptico de observação terrestre espacial.

Desde 2011 que a equipe organizadora vem desenvolvendo melhorias para um melhor resultados nos trabalhos de SIG. Para termos uma ideia, e principalmente a você usuário que quer trabalhar ou já trabalha com essas imagens, esse sensor tem uma combinação única de alta cobertura espectral e alta resolução espacial no infravermelho próximo visível (VNIR) através de infravermelho de ondas curtas (SWIR) para as regiões de infravermelho termal (TIR). Essa combinação só prova o quanto é importante para analises usando modelos de elevação. Sua limitação de download foi até imposta em 1º de abril de 2016, pelo Centro de Arquivo Ativo Distribuído Distribuído da Land Processos (DAAC) em que começaram a distribuir gratuitamente os produtos de dados do Terra Advanced Spaceborne Thermal Emission e Reflection Radiometer (ASTER) em todo o mundo e depois o limitaram.

Para que você adquira essa imagem o caminho é muito fácil…

Basta voce criar uma conta no site: https://gdex.cr.usgs.gov/gdex/

e a partir deste seguir os passos… clica-se no canto direito da tela abaixo buscando o nome ASTER GDAL DEM, em seguida vai no icone Capturar 1 23-03de inserir o país e o Estado, o local de interesse que se encontra na barra acima do mapa abaixo.

Capturar 23-03.PNG

Capturar 2 23-03.PNG

Capturar 2 23-03.PNG

Em seguida clica em ASTER GDAL DEM V2…escolhe as coordenadas da região de interesse e em seguida clica no ícone download da áreaCapturar 2 23-03. Mas só funciona se você fazer o login, criar sua conta respeitando todas as regras. Observe que escolhi meu Estado, a Paraíba. Estaremos por aqui !

Até mais!!!

 

Recorte e composição de imagens orbitais para identificação de áreas irrigadas – Treinamentos

20/02/2018  JY Geotecnologias

blog 20-02

Olá pessoal,

Temos nos últimos dias trabalhado a ideia de se fazer os procedimentos de recorte e empilhamentos de imagens de satélite, que no caso para esse trabalho utilizamos a LANDSAT8 , orbita 215 /ponto 065 para verificação das áreas como ou sem irrigação nas proximidades do município de Campina Grande. A turma gostou bastante do treinamento!

As imagens foram tratadas e registradas no software SPRING do INPE e no ArcGIS. Os treinamentos serviram para notificarmos a presença de áreas agrícolas usando as ferramentas de vetorização, criando shapes e pontos amostrais os quais garantiram a identificação colorida das áreas.

Foi um ótimo treinamento com essa parte de geoprocessamento, recorte e composição de bandas espectrais. Mas iremos mais adiante. Trataremos a posteriori dos processos de classificação e pós classificação e NDVI.

Publicaremos mais trabalhos por aqui!

Até!!!

LIVRO: POSICIONAMIENTO SATELITAL

26/10//2107   JY Geotecnologias

para meu blog25-10

Olá todos,

O livro “GPS Posicionamiento Satelital“, escrito pelos especialistas Eduardo Huerta, Aldo Mangiaterra e Gustavo Noguera, apresenta toda definição do sistema GPS, com os principais fundamentos do uso dos satélites e a interação existente entre o uso do GPS e os dados orbitais. Foi publicada pela Universidade Nacional de Rosario (UNR), em julho de 2005.

Mas tem um detalhe, ele é escrito em espanhol, mas vale a pena conferir e é de grande proveito para a área da engenharia civil, agrimensura e afins.

Quer baixar o livro? Clique no link abaixo:
www.fceia.unr.edu.ar/gps/GGSR/libro_gps.pdf

Bons estudos!

Treinamento com o QGIS! – Análises Geoespaciais Aplicadas à Gestão Estratégica na Agricultura

12/09/2017  JY  Geotecnologias

Treinamento: Análises Geoespaciais Aplicadas à Gestão Estratégica na Agricultura

Olá todos,

Vamos participar desse treinamento! É perfeito para quem trabalha  com o SIG na agricultura!

Tema:  Análises Geoespaciais Aplicadas à Gestão Estratégica na Agricultura

O Treinamento: Análises Geoespaciais Aplicadas à Gestão Estratégica na Agricultura, nas dependências da Faculdade de Ciências Agronômicas na Fazenda Experimental Lageado em Botucatu-SP, nos dias 18, 19 e 20 de setembro de 2017, das 19h15 às 22h15.

O evento é realizado em parceria com a FCA/Unesp, Fepaf e Fatec/Botucatu.

Programação Geral: Serão apresentados conceitos básicos relativos à Gestão Estratégica Territorial, SIG e Análises Geoespaciais. A partir de bases de dados do IBGE, serão apresentadas metodologias de classificação dos dados em ambiente SIG e também uma metodologia de análise da dinâmica espaço-temporal da agricultura, desenvolvida pela Embrapa Gestão Territorial.

Objetivo: Apresentar uma visão geral e exemplos de aplicações da análise espacial estratégica na agricultura, com atividades práticas.

Público-Alvo: Alunos de graduação dos cursos de Engenharia Agronômica, Engenharia Florestal, Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia, Ciências Biológicas, Alunos dos Programas de Pós-Graduação em Agronomia e áreas correlatas. Profissionais relacionados a empresas de agricultura de precisão, ramo das geotecnologias e áreas correlatas.

Inscrições:

As inscrições do Treinamento podem ser feitas AQUI !

Vagas: 20

Estudante R$ 200,00
Profissional R$ 400,00

————————————————————————————————————

Programação

Carga Horária: 09 horas

Gestão territorial estratégica da agricultura – uma visão geral

Conceitos básicos de Sistemas de Informações Geográficas (SIG)

Introdução às análises geoespaciais

Práticas:

  • Introdução ao software Quantum GIS (comandos básicos e projeções)
  • Prática: Obtenção de dados tabulares em bases oficiais
  • Prática: Espacialização e classificação de dados
  • Prática: Conversão de formato de arquivos e interpolação
  • Prática: Manipulação de banco de dados de atributos

Boa sorte!

 

 

Estudos de observação da terra com o AMAZONIA -1 – primeiro satélite nacional

05/09/2017  JY Geotecnologias

Amazonia - 1

Olá gente,

Segundo o INPE, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, o AMAZONIA 1 irá fornecer dados (imagens) de sensoriamento remoto para observar e monitorar o desmatamento especialmente na região amazônica e, também, a diversificada agricultura em todo o território nacional com uma alta taxa de revisita, buscando atuar em sinergia com os programas ambientais existentes.

Os dados gerados serão úteis para atender, ainda, outras aplicações correlatas, tais como: monitoramento da região costeira, reservatórios de água, florestas naturais e cultivadas, desastres ambientais, entre outros.

Os dados estarão disponíveis tanto para comunidade científica e órgãos governamentais quanto para usuários interessados em uma melhor compreensão do ambiente terrestre.

A Missão prevê três satélites de sensoriamento remoto: Amazonia-1, Amazonia-1B e Amazonia-2, estando o primeiro em fase final de desenvolvimento.

Além dos objetivos finalísticos associados ao provimento de dados para monitoramento do meio ambiente, a Missão tem um importante objetivo do ponto de vista tecnológico: a validação da Plataforma Multimissão PMM como sistema, que será utilizada pela primeira vez no satélite Amazonia-1.

Por fim, a Missão Amazonia irá consolidar o conhecimento do Brasil no desenvolvimento integral de uma missão espacial utilizando satélites estabilizados em 3 eixos, visto que os satélites de sensoriamento remoto anteriores foram desenvolvidos em cooperação internacional com outros países.

Essa competência global em engenharia de sistemas e em gerenciamento de projetos coloca o país em um novo patamar científico e tecnológico para missões espaciais. A partir do lançamento do satélite Amazonia-1 e da validação em voo da PMM, o Brasil terá dominado o ciclo de vida de fabricação de sistemas espaciais para satélites estabilizados em três eixos.

Isso significa autonomia para atuar em missões dessa categoria e capacitação para avançar para outros tipos de missão. Significa também a possibilidade de trabalhar em todas as etapas e em todos os subsistemas de uma missão dentro de parcerias nacionais.

Além disso, a disponibilidade de uma plataforma (PMM) qualificada em voo permitirá seu reúso em outras missões, nacionais ou em parceria internacional.

Finalmente, a indústria espacial brasileira terá ganho herança de voo nos equipamentos fabricados para o satélite, o que abre perspectivas para fornecimento a outros países e agências espaciais.

 

CURSOS SIG: INSTITUTO DIDACTIA

15/08/2017  JY  Geotecnologias

Olá pessoal,

O Instituto Didactia é uma empresa dedicada a valorizar a necessidade de formação de profissionais e empresas para manter seus níveis de qualidade no mercado de trabalho cada vez mais competitivo. Por isso está trazendo pra nós o oferecimento de cursos voltados para o mercado SIG. Quem tiver interesse entre AQUI !

SIM, SÓ LEMBRANDO, OS CURSOS SÃO EM ESPANHOL!

 

 

Geoprocessamento com o gvSIG !Fique de olho nesse material *

02/08/2017   JY Geotecnologias

Olá pessoal,

blog 02-08

Aqui estamos divulgando e interagindo com nossos parceiros e alunos referente ao uso e pesquisa de materias que envolve o uso do software gvSIG. Um importantíssimo programa de SIG, o qual particularmente utilizo em meus trabalhos. Pois bem. É um material de uma Webinar que escolhemos de nosso acervo para você usuário, estudante, professor baixar e observar a proposta feita pela equipe e o Engenheiro  Gustavo Agüero Córdoba! Adoramos esse material, que conta com as explicações para quem estuda o gvSIG em modo avançado.

Vamos baixar!    AQUI

Boa pesquisa!