Arquivo da categoria: Geotecnologia na agricultura

EMBRAPA: Drones X Agricultura de Precisão – para uso no campo

20/07/2016   JY  Geotecnologias

Drone Embrapa

Viva a tecnologia !

Uma das tecnologias mais marcantes para o campo hoje, em termos de produtividade e renda chama-se Agricultura de Precisão e é notório a atenção dos produtores para aumentar o rendimento das lavouras e reduzir o impacto ambiental. A avaliação foi feita pelo chefe do Serviço de Agricultura de Precisão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Fabrício Juntolli, ao destacar o papel da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) no desenvolvimento de tecnologias capazes de impulsionar ainda mais a atividade agrícola brasileira. Isso, acrescenta, vai tornar mais acessível, por exemplo, o uso de drones por pequenos e médios agricultores.

Uma das últimas iniciativas da Embrapa para apoiar a AP foi anunciada no fim do mês passado. Segundo Juntolli, a Embrapa Instrumentação, a Qualcomm Incorporated, por meio da iniciativa Qualcomm Wireless Reach, e o Instituto de Socioeconomia Solidária (ISES) vão colaborar para desenvolver tecnologias para drones destinados à agricultura. A parceria será executada por intermédio do Programa de Desenvolvimento de Tecnologias para o Uso de Drones em Agricultura de Precisão, cujo coordenador  é o pesquisador Lúcio Jorge.

“Essa cooperação é importante e deverá ter resultados significativos para o avanço do setor”, destaca Juntolli. Segundo ele, o programa tem o objetivo de demonstrar como essas soluções podem ser aplicadas para reduzir o impacto ambiental e aumentar a produtividade das culturas. “Essa parceria vai colaborar para a sustentabilidade e a competitividade da agropecuária brasileira.”

De acordo com a Embrapa Instrumentação, os sistemas de bordo desenvolvidos para os drones – que combinarão a expertise da Embrapa em agricultura, algoritmos de processamento de imagem ao processador Qualcomm Snapdragon e avançadas tecnologias móveis – têm como missão coletar, processar, analisar e transmitir informações das lavouras em tempo real para os agricultores e agentes ambientais de todo o Brasil.

IMPORTANTE:

Os dados de inteligência serão usados para detectar com precisão as deficiências das culturas, ocorrência de pragas, escassez hídrica, déficit de nutrientes e danos ambientais. Essas funcionalidades permitirão que os agricultores tomem medidas precisas para, por exemplo, evitar o uso demasiado de defensivos agrícolas, excesso de fertilização, além de possibilitar a irrigação de campos secos, a fim de reduzir o impacto ambiental e ampliar a produtividade.

Após o desenvolvimento de sistemas de bordo para drones, o programa terá testes de campo com os dispositivos e uma avaliação para medir o seu impacto econômico e social. Com isso, ainda será possível comprovar que os drones podem permitir a adoção de medidas imediatas em favor do meio ambiente e negócios, reduzindo ainda a consequência negativa das mudanças climáticas.

Fonte: EMBRAPA

Anúncios

Conheça aqui os aplicativos mais utilizados na agricultura

13/04/2016   JY   Geotecnologias

Olá pessoal,

Os aplicativos conquistaram o mercado e um  setor que não podia ficar de fora é o agrícola. Por isso, pesquisando por ai trouxe pra vocês alguns apps que estão em alta neste momento e por sinal, muito utilizados, como por exemplo, na Agricultura de Precisão.

O Google Earth ,por exemplo, se tornou uma ferramenta bastante útil na questão de planejar e monitorar a terra, uma garantia que promove um contato  entre o homem do campo com a tecnologia. Sendo esse computadorizado ou por meio de celulares, que é uma febre hoje em dia..

Vejamos alguns…

AGRA – Quer saber o que esta acontecendo em tempo real na sua lavoura? sem falar dos riscos, das pragas e doenças que podem ataca-la? dados de chuva, umidade do solo e do ar e uma previsão climática local e precisa? Essa é a proposta da AGRA, ajudar agricultores a melhorar suas operações agrícolas através de um Big data (grande banco de dados) e Analytics (analises dos dados), assim minimizando os riscos e reduzindo os custos. O usuário cadastra os talhões e as atividades que ali acorrerão, automaticamente o banco de dados alimenta com dados do clima local, previsões de clima mais preciso com GRID de 10 km, fornece momento ideal para aplicações, alertas riscos de doenças e pragas na região que podem atacar a propriedade, bem como alertar níveis de gerencia sobre ocorrências no campo. AGRA Esta em fase de beta fechado, ou seja para apenas um grupo restrito de agricultores, oferecendo consultoria gratuita e um super atendimento diferenciado para as fazendas que adotarem e ajudarem a desenvolver ainda mais a plataforma antes do lançamento oficial. Baixar aqui.

Simulador para o Código Florestal (Gratuito, disponível para Android e IOS, em português) – Em meio ao prazo curto para adesão ao Cadastro Ambiental Rural (Car), esse aplicativo tenta facilitar o trabalho de regularização dos imóveis rurais. O usuário insere dados da propriedade (como localização, área de cultivo e área de reserva legal) e o sistema fornece um diagnóstico em relação a Lei do Novo Código Florestal. Em caso de passivo ambiental o programa também fornece dicas para fazer a regularização. Links para download: Android – http://bitly.com/1Ii6cYT IOS –http://apple.co/1D7WjZd

Manejo do gado- Suplementa Certo (Gratuito, disponível para Android, em português) – Desenvolvido pela Embrapa Gado Corte e a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) o aplicativo ajuda os pecuaristas a fazer a avaliação de custo/benefício da suplementação de bovinos de corte na época de seca. O sistema permite comparar dois tipos de suplementação: com sal proteinado e em semiconfinamento Também é possível comparar os rendimentos do mesmo tipo de produto de suplementação, de diferentes marcas, sem necessidade de conexão constante com a Internet. O programa informa o número mínimo de cochos que deve ser disponibilizado ao lote a ser suplementado.Link para download: http://bitly.com/1IOvRM2

Pois é galera fica a dica, o mercado agrícola não para no tempo, sempre inovando com as tecnologias que estão surgindo em prol de facilitar a vida do homem do campo. Pois é… com o celular essas tarefas agrícolas ,como por exemplo, o monitoramento de pragas e do clima, a agricultura de precisão e medição do índice pluviométrico, o produtor pode gerenciar uma série de trabalhos em sua propriedade. Muito bom isso, mas lembrando que é importante a ajuda de um profissional em apps que entenda de como utilizar esses aplicativos e de como manuseá-los para que o proprietário seja beneficiado desses recursos.

Até os próximos posts!

Para o produtor rural é mais conveniente contratar um agrimensor ou comprar um drone?

26/02/16   JY  Geotecnologias

    

Olá todos,

Qual a melhor opção de serviço?

Veja o que comentou em uma recente entrevista o engenheiro eletrônico Leonardo Garcia…”o agricultor comprar um drone para serviços de imagem é um bom negócio. “Fazer imagens aéreas com aviões e helicópteros sai muito caro. Hoje um drone para este fim pode sair bem mais barato que o valor de uma única foto”, explica.

Não é a toa que o drone ficou muito popular e por isso muita gente, pequenas e grandes empresas agrícolas estão aproveitando as ofertas desses aparelhos para garantirem sua safra. Ofertas essas financeiras, pois os custos são bem menores que uma equipe especializada em georreferenciamento e medição das terras. Mas vai depender também da vontade de quem está querendo um serviço como esse. A questão também a ser questionada é a precisão e a qualidade do produto a ser escolhido pelo produtor, visto que o drone processa os dados com mais rapidez. Mas é importante também questionar que muita gente está comprando sem saber usar. Não adianta ter um produto como esse sem ter experiencia com o manuseio. 

Lúcio Jorge, especialista da Embrapa Instrumental, afirma que para contratar uma empresa que domine técnicas de voo e imagem é a melhor opção para serviços mais bem elaborados. “Há drones com alta tecnologia que um leigo não saberá operar e se decepcionará. Esses modelos completos, com câmeras especiais de infravermelho e multiespectral, também custam muito caro. Se uma máquina dessa cai no chão, o prejuízo é grande”.

O Jorge ainda indagou que para o produtor rural que procura esse serviço é melhor buscar uma cooperativa que tenha um drone e que atenda várias pessoas. Se não, melhor contratar uma empresa“. Hoje vários consultores agrícolas oferecem esse serviço, enxergando potencial de turbinar suas análises. Já os grandes agricultores têm dinheiro para ter equipes e máquinas potentes, e devem preferir ter a própria frota.

Por isso que deixo claro aqui que vai das condições e opções que o produtor tem para melhor garantir suas expectativas. Utilizar um produto sem saber suas particularidades e especificações, bem como realizar todo processo de coleta de dados e imagens sozinho não dá vantagem, bem como também a falta de um bom computador que aguente tanta imagem e o programa de SIG para te auxiliar nos trabalhos.

E você o que faria?

Até o próximos posts!

Referências: EMBRAPA

 

 

 

 

 

Agricultura controlada: os drones garantem isso

20/05/14   JY geotecnologias

A utilização de veículos aéreos não tripulados , os DRONES, tem despertado atenções em diversos segmentos da sociedade. No caso do setor agrícola, especificamente, a grande vantagem é a precisão com que se pode detectar e monitorar grandes áreas quase que em tempo real. É uma realidade de sensoriamento remoto nunca antes imaginada, com alta definição e alta frequência de captura das imagens aéreas”, explica Duarte Coelho.

Para se ter uma ideia do que isto significa, Coelho faz um paralelo com o  novo satélite Landsat 8, lançado pelo governo norte-americano em  fevereiro de 2013. Segundo o docente, a frequência de aquisição de  imagens em uma mesma área deste satélite é de 16 dias quando as  condições climáticas permitem, sendo que o horário de captura das  imagens é fixo, às 10 horas. Cada pixel da imagem do Landsat 8 nas  bandas espectrais vermelho, azul e verde representa uma área de  aproximadamente 900 m², sendo que na imagem termal (infravermelho) cada pixel representa cerca de 10 mil m². Com a utilização do drone  voando a uma altitude de 300 m, limite máximo de altura autorizado  para voo não tripulado, com câmeras especiais multiespectral / térmica  acopladas, tem-se para uma foto de 6 ha de área nas bandas espectrais da  radiação visível, cada pixel representando uma área equivalente à tela de um smartphone (49 cm²). “Nas imagens térmicas, cada pixel representa a área equivalente à tela de um tablet, cerca de 197 cm², sendo que as imagens podem ser captadas a qualquer hora do dia e inúmeras vezes em um mesmo dia. Diminuindo-se a altitude, aumenta-se ainda mais essa resolução”.

De acordo com o docente do LEB, a princípio estas aplicações serão priorizadas em áreas de pesquisa e cultivos tecnificados como cana-de-açúcar, café, citros, uva e hortaliças. “Esperamos desenvolver nos próximos anos aplicações desta nova tecnologia visando à detecção da variabilidade espacial do estresse hídrico no campo, de deficiências nutricionais, falta de uniformidade de aplicação de água em sistemas de irrigação, danos foliares causados por pragas e doenças”, comenta.

Recentemente, no evento da Agrishow 2014 , a Embrapa apresentou alguns modelos. “Nós compramos as peças no mercado e montamos”, disse o pesquisador Lúcio André de Castro Jorge.

Segundo ele, as imagens captadas pelos VANTs  servem para funções de geoprocessamento, como, por exemplo, identificar falhas, pragas e doenças no plantio, bem como níveis de nutrientes do solo, entre outros fenômenos. Castro Jorge explica que as imagens captadas são analisadas por softwares específicos que apontam as eventuais ocorrências existentes. De acordo com o pesquisador, o preço dos drones varia de R$ 5 mil a R$ 300 mil. Em relação a desempenho, o modelo do vídeo abaixo tem alcance de 300 metros e autonomia de 20 minutos, sendo movido à bateria.

Outro caso a destacar, em terras espanholas esse equipamento vem beneficiando bastante a agricultura nas suas províncias. Segundoa  Asociación Internacional de Vehículos no tripulados, na España preveem que o impacto principal desta industria se dirigirá ao sector agrícola, fazendo com que os Drones formem parte das diferentes ferramentas de exploração, destinados ao controle preventivo de culturas que pode ser usado como um veículo permanente de precisão, para controlar as taxas de crescimento e hidratação e identificar possíveis epidemias antes eles invadir áreas.

Saiba mais sobre os drones nesta cartilha: Los drones en la agricultura. 

 

Levantamento apresenta perfil de usuários da agricultura de precisão no Brasil

Resultados do estudo serão apresentados no próximo dia 15 na Embrapa InstrumentaçãoSamuel Vasconcelos

Foto: Samuel Vasconcelos / Embrapa
Vant empregado em pesquisas com Agricultura de Precisão

Um levantamento da Embrapa traz o perfil do usuário da agricultura de precisão (AP). O estudo mostra que ele é jovem, instruído, propenso a utilizar mais tecnologia da informação e cultivador de grandes extensões de terras. Os resultados da sondagem serão apresentados no dia 15, na Embrapa Instrumentação (São Carlos), no seminário da Rede da Agricultura de Precisão, evento que faz parte da programação da III Convenção da Rede de Agricultura de Precisão, a ser realizada de 12 a 16 de maio.

Conduzido por pesquisadores da Rede de Agricultura de Precisão da Embrapa, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o levantamento foi realizado com responsáveis de 301 propriedades rurais das principais regiões agrícolas do Brasil, entre 10 de setembro e 13 de novembro de 2012. Questionários foram aplicados durante os seminários sobre Agricultura de Precisão, promovidos pelo Senar.

– Esse estudo desenvolvido pela Embrapa a partir do questionário aplicado durante os nossos seminários é de grande importância para o SENAR. Conhecendo melhor o perfil do produtor rural vamos atender  de fato a demanda do setor. Vamos levar os cursos de capacitação aos produtores realmente interessados em agricultura de precisão – afirma o secretário-executivo do órgão, Daniel Klüppel Carrara.

O levantamento ainda apontou que o produtor rural leva em média quatro anos para adotar a técnica e que os principais produtos agrícolas cultivados com ferramentas de AP são soja e milho, seguidos pelas culturas do trigo e feijão. As propriedades variam de tamanho, de acordo com a região do país, sendo a menor acima de 250 ha no Sul e a maior, acima de 5.500 ha no Nordeste.

Para os organizadores da pesquisa, Ricardo Inamasu (pesquisador da Embrapa Instrumentação e coordenador da Rede de Agricultura de Precisão) e Alberto Bernardi (pesquisador da Embrapa Pecuária Sudeste), ainda que a amostragem possa ser considerada pequena, já traz informações relevantes para a condução de estudos sobre a técnica. O Brasil possui 5.204.130 estabelecimentos rurais, dos quais em torno de 83% (4.367.902 unidades de produção) pertencem à agricultura familiar. Outras pesquisas sobre o assunto foram realizadas anteriormente, mas com foco pontual em determinados estados.

Os dois pesquisadores afirmam que o levantamento mostrou que existe a percepção de que a adoção da AP pode aumentar a produtividade, o retorno econômico, a qualidade do produto e reduzir o impacto ambiental. Embora a sondagem tenha revelado que a AP está sendo empregada por grandes produtores, Inamasu acredita que é um equívoco considerar que o sistema  é destinado só a esse grupo.

A convenção será aberta pelo diretor-executivo de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da Embrapa, Ladislau Martin Neto. O seminário é gratuito e aberto ao público. Os interessados em participar devem enviar mensagem para o endereço cnpdia.agricultura.precisao@embrapa.br.

1364743484577881